23 de novembro de 2014

Toda maioria também é burra.





                Nelson Rodrigues afirmava que “Toda unanimidade é burra”. Ouso dizer que toda maioria é mais burra ainda, ao constatar que 62% dos eleitores brasileiros não escolheram Dilma para presidir o país.

                De fato sou obrigado a concordar com uma frase que li recentemente. Não me recordo onde, por isso omito a fonte: “somos um bando de cordeirinhos cabisbaixos que fingimos ser felizes”.

                Algumas manifestações já aconteceram e outras certamente serão organizadas contra essa realidade. Mas a adesão dessa massa de 62% de eleitores é mínima. Como já foi amplamente noticiado,  o Padre Marcelo reúne muito mais pessoas nas suas missas dominicais e o mesmo se repete nas demais manifestações de cunho religioso ou social.

                As manifestações contra a Copa, o denominado “Não vai ter copa” foi um fracasso total. A copa aconteceu, e mesmo com a vergonhosa participação da seleção brasileira, o povo se escondeu para chorar “debaixo dos lençóis”.

                E isso está acontecendo agora. Estamos (62% dos eleitores) chorando no mesmo lugar a vitória de Dilma nas últimas eleições.

                Não temos liderança que nos faça sair do nosso esconderijo de lamentações. Cadê a oposição ao governo que se instalou, e que tem tudo para ficar no poder? Os nossos candidatos, Aécio e Marina onde estão? Talvez chorando a derrota no mesmo lugar que o nosso, escondidos e calados.

                Não vejo solução. Vamos continuar andando sem rumo, ou melhor, para um lugar onde o poder eleito pela minoria nos queira levar.


                Triste, mas real: a maioria é muito burra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos seu comentário. Críticas serão sempre aceitas, desde que observado os padrões da ética e o correto uso da nossa língua portuguesa.