31 de janeiro de 2011

Há décadas, entrar na universidade é dura missão no Brasil

Há décadas, entrar na universidade é dura missão no Brasil

BBB - BIG BROTHER BRASIL





Recebi este texto por e-mail que diz ter sido escrito por Luiz Fernando Veríssimo.
 
Vale à pena reproduzir no meu blog, já que se tornou público:

Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço...A décima primeira (está indo longe!) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil,... encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.

Dizem que em Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir, ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros... todos, na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. O BBB é a realidade em busca do IBOPE... Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB. Ele prometeu um “zoológico humano divertido” . Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.

Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo.

Eu gostaria de perguntar, se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis?

São esses nossos exemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros: profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor, quase sempre mal remunerados..

Heróis, são milhares de brasileiros que sequer têm um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir e conseguem sobreviver a isso, todo santo dia.

Heróis, são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.

Heróis, são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada, meses atrás pela própria Rede Globo.
O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral.

E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.

Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social: moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?

(Poderiam ser feitas mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores!)

Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.

Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa..., ler a Bíblia, orar, meditar, passear com os filhos, ir ao cinema..., estudar... , ouvir boa música..., cuidar das flores e jardins... , telefonar para um amigo... , visitar os avós... , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou simplesmente dormir.

Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construída nossa sociedade.

Um abismo chama outro abismo.

Concluímos com uma frase de René Descartes:

"A moral, ciência que pressupõe o conhecimento das demais ciências, é o supremo grau da sabedoria."


E você caro leitor, ainda vai dar uma espiadinha?

PRECISAMOS DE SENADORES IGUAIS A ESSE



O Senador Cristovam Buarque apresentou um projeto de lei propondo que todo político eleito (vereador, prefeito, Deputado, etc.) seja obrigado a colocar os filhos na escola pública. As consequências seriam as melhores possíveis.

Quando os políticos se virem obrigados a colocar seus filhos na escola pública, a qualidade do ensino no país irá melhorar. E todos sabem das implicações decorrentes do ensino público que temos no Brasil.

Vejam o projeto na íntegra:


PLS - PROJETO DE LEI DO SENADO, Nº 480 de 2007

Determina a obrigatoriedade de os agentes públicos eleitos matricularem seus filhos e demais dependentes em escolas públicas até 2014.

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Art. 1º. Os agentes públicos eleitos para os Poderes Executivo e Legislativo federais, estaduais, municipais e do Distrito Federal são obrigados a matricular seus filhos e demais dependentes em escolas públicas de educação básica.

Art. 2º.Esta Lei deverá estar em vigor em todo o Brasil até, no máximo, 1º de janeiro de 2014.

Parágrafo Único. As Câmaras de Vereadores e Assembléias Legislativas Estaduais poderão antecipar este prazo para suas unidades respectivas.

JUSTIFICAÇÃO

No Brasil, os filhos dos dirigentes políticos estudam a educação básica em escolas privadas. Isto mostra, em primeiro lugar, a má qualidade da escola pública brasileira, e, em segundo lugar, o descaso dos dirigentes para com o ensino público.

Talvez não haja maior prova do desapreço para com a educação das crianças do povo, do que ter os filhos dos dirigentes brasileiros, salvo raras exceções, estudando em escolas privadas. Esta é uma forma de corrupção discreta da elite dirigente que, ao invés de resolver os problemas nacionais, busca proteger-se contra as tragédias do povo, criando privilégios.

Além de deixarem as escolas públicas abandonadas, ao se ampararem nas escolas privadas, as autoridades brasileiras criaram a possibilidade de se beneficiarem de descontos no Imposto de Renda para financiar os custos da educação privada de seus filhos.

Pode-se estimar que os 64.810 ocupantes de cargos eleitorais “vereadores, prefeitos e vice-prefeitos, deputados estaduais, federais, senadores e seus suplentes, governadores e vice-governadores, Presidente e Vice-Presidente da República“ deduzam um valor total de mais de 150 milhões de reais nas suas respectivas declarações de imposto de renda, com o fim de financiar a escola privada de seus filhos alcançando a dedução de R$ 2.373,84 inclusive no exterior. Considerando apenas um dependente por ocupante de cargo eleitoras.

O presente Projeto de Lei permitirá que se alcance, entre outros, os seguintes objetivos:

a) ético: comprometerá o representante do povo com a escola que atende ao povo;

b) político: certamente provocará um maior interesse das autoridades para com a educação pública com a conseqüente melhoria da qualidade dessas escolas.

c) financeiro: evitará a evasão escolar de mais de 12 milhões de reais por mês, o que aumentaria a disponibilidade de recursos fiscais à disposição do setor público, inclusive para a educação;

d) estratégica: os governantes sentirão diretamente a urgência de, em sete anos, desenvolver a qualidade da educação pública no Brasil.

Se esta proposta tivesse sido adotada no momento da Proclamação da República, como um gesto republicano, a realidade social brasileira seria hoje completamente diferente. Entretanto, a tradição de 118 anos de uma República que separa as massas e a elite, uma sem direitos e a outra com privilégios, não permite a implementação imediata desta decisão.

Ficou escolhido por isto o ano de 2014, quando a República estará completando 125 anos de sua proclamação. É um prazo muito longo desde 1889, mas suficiente para que as escolas públicas brasileiras tenham a qualidade que a elite dirigente exige para a escola de seus filhos.

Seria injustificado, depois de tanto tempo, que o Brasil ainda tivesse duas educações,“ uma para os filhos de seus dirigentes e outra para os filhos do povo“, como nos mais antigos sistemas monárquicos, onde a educação era reservada para os nobres.

Diante do exposto, solicitamos o apoio dos ilustres colegas para a aprovação deste projeto.

Sala das Sessões,

Senador CRISTOVAM BUARQUE

Você pode ajudar a tornar que esse projeto mude a realidade do nosso país.

O projeto PASSARÁ, SE HOUVER A PRESSÃO DA OPINIÃO PÚBLICA.


NOTAS:
Cristovam Ricardo Cavalcanti Buarque (na ortografia padrão, Cristóvão Ricardo Cavalcante Buarque; Recife, 20 de fevereiro de 1944) é um engenheiro mecânico, economista, educador, professor universitário e político brasileiro, membro do PDT.


Atualmente é senador pelo Distrito Federal. Foi Ministro da Educação entre 2003 e 2004, no primeiro mandato de Lula. Nas eleições de 2010, foi reeleito para o cargo de senador pelo Distrito Federal, com mandato até 2018. É casado e tem duas filhas. fonte: Wikipedia.

3.000 acessos. Obrigado leitores



Imagem:http://viniciusmatos.files.wordpress.com/2009/01/30001.jpg


Chegamos hoje a 3.000 acessos. O nosso blog que começou a ser publicado em maio do ano passado chega aos 3.000 acessos em menos de um ano. É um resultado modesto, perto dos vários blogs disponibilizados. Voltado para um público específico, sentimo-nos recompensados com o resultado alcançado e animados para continuar postando.

O nosso blog é lido hoje no Brasil, Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, França, Portugal, Cingapura, Espanha e Eslovênia, conforme nos informa a estatística que nos é oferecida pela conta Google-Blogger.

O visual também muda a partir de agora. Esperamos que gostem.

Aos nossos leitores o nosso muito obrigado.




Eu quero sentir saudade: não me cure!!!



Ontem dia 30 de janeiro foi o dia da saudade. Em razão disso, muitos especialistas em lidar com todos os tipos de sentimento humano, ofereceram dicas de como afastar o que eles chamam de “depressão momentânea”, e orientações de como administrar a dor emocional da saudade.

Em pesquisa que realizei sobre o assunto, encontrei uma definição de saudade dada por uma criança, acometida de câncer, em fase terminal, que retrata bem esse sentimento humano: “saudade é o amor que fica”.

Para Marcele de Carvalho, psicóloga do Centro de Controle do Estresse no Rio de Janeiro, esse sentimento é natural e saudável até certo ponto. “Geralmente se fala de saudade quando se relembra ou está na ausência de alguma coisa, situação, local ou alguém. Este sentimento pode vir acompanhado de tristeza ou ansiedade, por exemplo, já que existe um impedimento para estar na presença ou convivência daquilo ou de quem se deseja estar.” A especialista alerta que: “Se o impedimento é temporário ou irreversível, é necessário saber resignar-se e criar formas alternativas para lidar com a falta” (1)

Sem ser especialista em comportamento dos seres humanos, não vejo a saudade como algo que me traga qualquer tipo de desconforto. Sentir saudade, para mim, é um sentimento que me faz bem e, se é considerado um mal, quero morrer de saudade.

Voltando à definição que nos foi dada por uma criança, e citada no início deste post – “saudade é o amor que fica”, não se pode falar que tal sentimento possa ser prejudicial ao ser humano. O amor, em qualquer de suas formas, e de que maneira é sentido, jamais pode significar algo que precisa de “remédio” para ser curado. Viver e morrer amando, é, ao contrário, a receita da felicidade.

Edson Carmo em seu blog afirma: “Tudo o que é doença no homem é causado pela falta de amor. Tudo o que está errado com o homem, está de alguma forma associado ao desamor. Ou o homem não tem sido capaz de amar, ou ele não tem sido capaz de receber amor. Sem plantio não tem colheita, e essa é a miséria mais básica do ser humano! Existem as doenças físicas e doenças mentais, na origem, todas essas enfermidades são fomentadas pela falta de amor. Investigue e você verá!”. (2)

Por tudo isso, quero sentir muita saudade: dos meus Pais que se encontram em outro plano espiritual; dos amigos que deixei pelas trilhas da vida; da minha infância e adolescência; das viagens que fiz; da convivência familiar de antigamente; da ética, honra e educação de outrora; dos meus professores; dos meus chefes e subordinados; da política e políticos sérios; da religião, família e educação, como alicerces da sociedade; do respeito aos mais velhos e às mulheres; da palavra dada que não voltava atrás; dos filmes e programas de TV que não afrontavam a moral dos telespectadores; do tempo disponível para visitar e conversar com parentes e amigos; da ausência de câmeras nos vigiando e das consultas ao SPC e SERASA; de quando eu comprava algum coisa, bastava o meu nome e a minha assinatura; da minha intimidade e privacidade preservadas; dos alimentos saudáveis, sem conservantes ou qualquer outra química; dos bailes; dos desfiles cívicos; da obrigação de cantar o Hino Nacional na escola; do médico que realmente me examinava sem me pedir qualquer exame; do café da tarde e dos almoços e jantares na hora certa,com toda a família reunida; do respeito máximo ao professor, aos pais, e as autoridades; dos Natais sem o consumismo de hoje; das compras feitas em armazéns marcadas na caderneta; de brincar e jogar futebol na rua; de que se drogar era fumar cigarros escondido dos pais; dos lanterninhas dos cinemas que nos colocavam para fora pelo simples fato de ter pego na mão de uma namorada; de ouvir no rádio boas músicas; de ler jornais que sujavam as minhas mãos; dos livros de grandes escritores e de tudo mais que hoje não mais existe.

O mundo de hoje, apesar das muitas facilidades que me são disponibilizadas com o aumento vertiginoso da tecnologia, não me oferece muito do que tinha outrora, e não me fará sentir saudade. Todavia, apesar de ter plena consciência de que é impossível restaurar o passado, é na saudade que busco o conforto de ter tido tudo o que não tenho hoje.


Mário Quintana profetizou:



"O tempo não pára. Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo”.

Por isso, quero sentir muita saudade, para que aquele tempo não pare nunca.



Se saudade é doença como dizem alguns especialistas, a minha é incurável graças a Deus.

Notas:

(1) - http://estilo.uol.com.br/comportamento/ultimas-noticias/2011/01/30/no-dia-saudade-aprenda-a-lidar-


(2)- http://edsoncarmo-amor.blogspot.com/

Autoria de texto publicado




Publicamos recentemente um post com o título "Quem sou eu?", cujo texto recebemos por e-mail. Na oportunidade não fomos informados quem seria o autor do mesmo e por essa razão não lhe demos os créditos.

Recebemos hoje, de uma amiga, Profa. Ms.  Berta Lúcia (Presidente Prudente), um e-mail contendo um texto cuja  autoria é citada e que deve ter dado origem àquele outro.

Por essa razão, temos o dever de publicá-lo. 

Quero voltar a ser eu

Eu, que era eu _ sim, porque eu já fui eu _, cheguei à triste conclusão de que não sou mais eu. Meu nome, que, por isso mesmo, já esqueci, não interessa a mais ninguém. Para um médico, por exemplo, apenas o cliente. Num restaurante, sou freguês. Quando alugo uma casa, viro inquilino. Na condução, passageiro. Nos correios, sou remetente. Num supermercado, consumidor. Para o imposto, sou contribuinte; com o prazo vencido, viro inadimplente. Para votar, sou eleitor; mas, num comício, sou massa. Viajar? Viro turista. Na rua, caminhando, sou pedestre; se me atropelam, sou acidentado; no hospital, paciente; para os jornais, sou vítima. Se compro um livro, viro leitor; para o rádio sou ouvinte; para o Ibope, espectador; e, para o futebol, eu que já fui torcedor, virei galera. [...]

Já sei que, quando eu morrer, ninguém vai se lembrar do meu nome. Vão me chamar de “o finado”, “o extinto”, “o falecido”, e, em certos círculos, até de “o desencarnado”. Só espero que o padre, na missa de sétimo dia, não me chame de “o sucumbido”. Logo a mim, que, no meu apogeu, já fui mais eu.

Max Nunes. O pescoço da girafa. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.






ENADE: candidato não inscrito pela sua instituição, conseqüências acadêmicas e jurídicas

IMAGEM:http://i1.r7.com/data/files/2C92/94A4/2601/86E6/0126/043A/A877/547C/enade-1-hg-jose-cruz-


O ENADE – Exame Nacional de Desempenho Estudantil – segundo o site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais – INEP – tem como objetivo avaliar o desempenho dos estudantes com relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos cursos de graduação, o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias ao aprofundamento da formação geral e profissional, e o nível de atualização dos estudantes com relação à realidade brasileira e mundial.

Além de uma prova realizada pelos alunos, a avaliação leva em consideração um questionário respondido pelos alunos que visa verificar a sua impressão sobre a prova e o seu perfil socioeconômico. Da mesma forma, como componente da nota, é analisado um questionário que é respondido pelos coordenadores de cada curso avaliado.

Os estudantes – ingressantes e concluintes – realizam a mesma prova que é constituída de questões de formação geral e específica de cada área de curso, contendo questões discursivas e de múltipla escolha. O objetivo dessa prova é permitir verificar o valor agregado dos concluintes na comparação que é feita com os ingressantes.

Cada curso é avaliado, como regra geral, a cada três anos, sendo que o Ministério da Educação define anualmente os cursos que serão avaliados.

A inscrição do aluno que está apto a realizar o ENADE, quando o seu curso é selecionado, é de responsabilidade das respectivas Instituições de Ensino (IES). Especialmente para os concluintes, a sua não inscrição gera consequências acadêmicas e jurídicas.

É importante ressaltar que todos os alunos considerados ingressantes, e os concluintes, devem realizar o ENADE quando o seu curso é avaliado. De acordo com o INEP, são considerados alunos ingressantes todos aqueles que estão matriculados no final do primeiro ano do seu curso, ou que tenha concluído de 7% a 22% da carga horária mínima do currículo até a data em que são processadas as inscrições. Os concluintes, por sua vez, são aqueles que até o início das inscrições tiveram concluído pelo menos 80% da carga horária mínima do seu curso. De uma forma mais resumida, devem fazer o ENADE os alunos matriculados no primeiro ano e no último ano de cada curso.

O aluno deve submeter-se ao ENADE, sob pena de ficar impossibilitado de receber o certificado de conclusão do seu curso e o respectivo diploma registrado. Neste caso, se um aluno deixou de realizar o ENADE, ele deve aguardar nova edição dessa avaliação, para que sua situação seja regularizada. Como a avaliação é realizada em média a cada três anos, esse aluno ficará todo esse tempo aguardando para receber os comprovantes de conclusão do seu curso.

A inscrição do estudante habilitado ao Enade cabe exclusivamente à IES, conforme § 6º do art. 5º da Lei 10.861/2004 e respectivo regulamento. Caso a Instituição de Ensino não faça a inscrição do aluno, ele não poderá prestar o exame.

Caso a IES não proceda em tempo hábil a inscrição de um aluno, ela poderá ser responsabilizada judicialmente, e sofrer consequências administrativas, respondendo perante ao Ministério da Educação (MEC), conforme o disposto no art. 5º, § 7º da Lei no 10.861/2004, que poderá suspender temporariamente a abertura pela IES de processo seletivo para alguns dos seus cursos.

Na esfera judicial já existem vários casos de alunos que, prejudicados pela não inscrição no ENADE, por culpa exclusiva da Instituição de Ensino, obtiveram êxito em suas demandas ao pleitear danos materiais, morais e até mesmo lucros cessantes. No rodapé deste post (2) selecionamos alguns desses casos.

Por outro lado, se devidamente inscrito, o aluno deixa de realizar o ENADE, também já há decisões de nossos Tribunais negando o direito de que ele venha a ser diplomado pela respectiva IES. Cita-se, como exemplo, um caso já decidido de um estudante de Maringá- Paraná, que teve o seu pleito indeferido pelo Superior Tribunal de Justiça. (3)

É importante salientar que até 2009 o ENADE era feito de forma amostral e agora é universal. Ou seja, antes alguns alunos, de todos os inscritos, eram selecionados para fazer a prova. Agora, todos os alunos inscritos devem fazer a prova. Dessa forma, o aluno que se enquadrar nas condições estabelecidas para realizar o exame, deve na época estabelecida, receber uma comunicação do INEP na qual estará o seu cartão de inscrição e o questionário socioeconômico que deverá ser respondido e entregue pelo aluno no dia da prova.

Não resta dúvida que o ENADE hoje constitui um valioso instrumento de avaliação dos cursos superiores no Brasil, de vez que a nota atribuída a um curso é amplamente divulgada, servindo, da mesma forma, como um dos instrumentos que o MEC utiliza para verificar periodicamente os cursos superiores com vistas ao recredenciamento da IES e renovação de reconhecimento dos cursos. Com isso, as IES têm procurado aperfeiçoar o ensino ministrado aos seus alunos tomando, como referência as fragilidades apontadas naquela avaliação. Considerando que o aluno ao concluir um curso superior leva consigo, no seu diploma, o nome da sua IES, essa nota poderá ser de grande valor para lhe abrir as portas do mercado de trabalho.

No site do INEP o aluno irá obter todas as informações a respeito do ENADE. Além disso, todos os alunos (ingressantes e concluintes) devem procurar o coordenador do seu curso para se inteirar sobre o ENADE quando o seu esse for submetido à avaliação.

Vejam na nota (4) os cursos já avaliados nas respectivas edições do ENADE e os que serão em 2011 e 2012 em nota (5).

Notas:

(1) Tudo sobre o ENEM

http://www.enem.inep.gov.br/faq.php

(2) Ações judiciais:

a. http://tjsc6.tj.sc.gov.br/cposg/servlet/ServletArquivo?cdProcesso=01000FSVH0000&nuSeqProcessoMv=20&tipoDocumento=D&cdAcordaoDoc=null&nuDocumento=2395221&pdf=true

b. http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2010/10/universidade-tera-que-pagar-r-5-mil-por-nao-inscrever-aluno-no-enade.html

c. http://noticias.r7.com/vestibular-e-concursos/noticias/instituicao-de-ensino-e-responsavel-por-inscrever-aluno-no-enade-20101102.html

(3) - Agência Estado

http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2008/01/17/stj_nega_diploma_a_estudante_que_nao_prestou_enade_1155387.html

(4)- Cursos avaliados nas edições já realizadas:

Em 2004: Agronomia, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Serviço Social, Terapia Ocupacional e Zootecnia.

Em 2005: Arquitetura e Urbanismo, Biologia, Ciências Sociais, Computação, Engenharia (em oito grupos), Filosofia, Física, Geografia, História, Letras, Matemática, Pedagogia e Química.

Em 2006: Administração, Arquivologia, Biblioteconomia, Biomedicina, ábeis, Ciências Econômicas, Comunicação Social, Design, Direito, Formação de Professores (Normal Superior), Música, Psicologia, Secretariado Executivo, Teatro e Turismo.

Em 2007: Agronomia, Biomedicina, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Serviço Social, Tecnologia em Agroindústria, Tecnologia em Radiologia, Terapia Ocupacional e Zootecnia.

Em 2008: Arquitetura e Urbanismo, Biologia, Ciências Sociais, Computação, Engenharia, Filosofia, Física, Geografia, História, Letras, Matemática, Pedagogia e Química, e os Cursos Superiores de Tecnologia em Construção de Edifícios, Alimentos, Automação Industrial, Gestão da Produção Industrial, Manutenção Industrial, Processos Químicos, Fabricação Mecânica, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Redes de Computadores e Saneamento Ambiental.

Em 2009: Administração, Arquivologia, Biblioteconomia, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Comunicação Social, Design, Direito, Estatística, Música, Psicologia, Relações Internacionais, Secretariado Executivo, Teatro e Turismo; e os Cursos Superiores de Tecnologia em: Design de Moda, Gastronomia, Gestão de Recursos Humanos, Gestão de Turismo, Gestão Financeira, Marketing e Processos Gerenciais.

Em 2010:Agronomia, Biomedicina, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Serviço Social, Terapia Ocupacional e Zootecnia; e os cursos que conferem diploma de tecnólogo em Agroindústria, Agronegócios, Gestão Hospitalar, Gestão Ambiental e Radiologia.

(5)- Confira a lista dos cursos que serão avaliados pelo ENADE nos próximos anos.

Em 2011: Arquitetura e Urbanismo, Biologia, Ciências Sociais,,Computação,Engenharia,,Filosofia, Física, Geografia, História, Letras, Matemática, Pedagogia, Química, Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios, Curso Superior de Tecnologia em Alimentos.

Em 2012: Administração, Arquivologia, Biblioteconomia, Biomedicida, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Comunicação Social, Design, Direito, Formação de Professores (Normal superior).

30 de janeiro de 2011

O EXEMPLO DE UM BISPO BRASILEIRO


O fato ocorreu em dezembro de 2010. Poucos tomaram conhecimento embora tenha sido amplamente divulgado nos jornais.

Justificável - dezembro é um mês que deixamos muita coisa de lado, inclusive de nos informar.

Em razão disso, resolvemos reproduzir a notícia divulgada pela Agência Estado onde todos poderão ver que belo exemplo nos foi dado por um  Bispo cearense.

"Bispo recusa comenda no Senado em protesto contra aumento de salários"
D. Manuel Edmilson da Cruz receberia a comenda de Direitos Humanos D. Hélder Câmara
Rosa Costa, da Agência Estado
Em protesto contra o reajuste de 62% que os parlamentares concederam aos seus próprios salários, o bispo emérito de Limoeiro do Norte, do Ceará, D. Manuel Edmilson da Cruz, recusou a comenda de Direitos Humanos D.Hélder Câmara, que este ano foi conferido pelo Senado, pela primeira vez.

Ao falar no plenário, na sessão de entrega da comenda, o religioso lamentou que o Congresso tenha aprovado aumento para seus próprios salários, com efeito cascata nos vencimentos de outras autoridades, enquanto os trabalhadores no transporte coletivo de Fortaleza mal conseguiram 6% de reajuste, em recente reivindicação trabalhista.
Segundo o bispo, enquanto o Congresso premia a si próprio, as aposentadorias estão reduzidas e o salário mínimo cresce "em ritmo de lesma". "Só me resta uma atitude: recusá-la (a comenda). Ela é um atentado, uma afronta ao povo brasileiro, ao cidadão, ao contribuinte, para o bem de todos com o suor no seu rosto e a dignidade no seu trabalho", disse. Para D.Manuel, o deputado e o senador que aprovaram o reajuste "não é parlamentar. É para lamentar". O bispo foi um dos cinco contemplados pela comenda D.Helder Câmara.

Veja também no You Tube:



http://www.youtube.com/watch?v=ZNuFlHAWwxo



Precisamos de mais brasileiros iguais a esse.



Parabéns D. Manuel.

QUEM SOU EU?



Recebemos por e-mail a mensagem que abaixo reproduzimos. Não se sabe a autoria, mas como achamos muito interessante resolvemos publicá-la:


"Nesta altura da vida já não sei mais quem sou...

Vejam só que dilema!!!

Na ficha da loja sou CLIENTE, no restaurante FREGUÊS, quando alugo uma casa INQUILINO, na condução PASSAGEIRO, nos correios REMETENTE, no supermercado CONSUMIDOR.

Para a Receita Federal CONTRIBUINTE, se vendo algo importado CONTRABANDISTA. Se revendo algo, sou MUAMBEIRO, se o carnê tá com o prazo vencido INADIMPLENTE, se não pago imposto SONEGADOR.

Para votar ELEITOR, mas em comícios MASSA , em viagens TURISTA , na rua caminhando PEDESTRE, se sou atropelado ACIDENTADO, no hospital PACIENTE. Nos jornais viro VÍTIMA, se compro um livro LEITOR, se ouço rádio OUVINTE. Para o Ibope ESPECTADOR, para apresentador de televisão TELESPECTADOR, no campo de futebol TORCEDOR.

Se sou corintiano, SOFREDOR. Agora, já virei GALERA. (se trabalho na ANATEL , sou COLABORADOR ) e, quando morrer... uns dirão... FINADO, outros... DEFUNTO, para outros... EXTINTO , para o povão... PRESUNTO... Em certos círculos espiritualistas serei... DESENCARNADO, evangélicos dirão que fui... ARREBATADO...

E o pior de tudo é que para todo governante sou apenas um IMBECIL !!!

E pensar que um dia já fui mais EU.

Ainda tem BLOGUISTA,  TIO, MANO, COROA, PSIU e tantas outras formas que é melhor parar...


Até mais queridos LEITORES e INTERNAUTAS...

Educação dos filhos: Nem tanto ao mar, nem tanto à terra






O site Uol Educação traz a notícia de que um livro gerou uma grande polêmica nos Estados Unidos, ao afirmar que os chineses têm mais sucesso na criação de seus filhos do que os povos ocidentais. A razão desse “sucesso”, segundo a autora do livro, reside nos métodos mais rígidos na educação das crianças(1).

As crianças chinesas estão proibidas de assistir à TV, jogar vídeo game e de escolher suas atividades extracurriculares, narra a autora do livro. Por outro lado, são obrigadas a aprender a tocar piano ou violino, serem as melhores alunas em todas as disciplinas cursadas, exceto em música e drama.

Segundo a reportagem publicada, essa educação rígida das crianças é uma prática já consagrada na China e não é contestada. Ao contrário, a grande maioria dos pais considera que essa é a única forma de garantir o futuro de seus filhos.

Apesar de pouco contestado na China, esse método, segundo Yang Dongping, professor e especialista em comportamento dos pais, do Instituto de Tecnologia de Pequim, demonstra que “os pais estão cada vez mais dispostos a não permitir que seus filhos sejam crianças e que elas tenham uma infância feliz”. Para o Prof. Yang, tal filosofia “limita a criatividade e a imaginação dos jovens”.

Enquanto na China as crianças só têm tempo para estudar, fazer provas e ter aulas particulares, as crianças do mundo ocidental, e em especial no Brasil, estão cada vez mais livres para fazer o que quiser.

E você leitor, o que acha disso? Comente.

Fontes:

(1) A professora de direito americana Amy Chua, filha de imigrantes chineses, é a autora de Battle Hymn of the Tiger Mother (“Hino de Batalha da Mãe Tigresa”, em tradução livre), livro em que relata a tentativa de criar suas filhas à "moda chinesa".

(2)-http://educacao.uol.com.br/ultnot/bbc/2011/01/26/estilo-de-educacao-das-maes-tigresas-da-china-causa-polemica.jhtm

Os professores devem ficar atentos no reinício das aulas


O ano letivo deve começar em breve logo após o recesso que acontece geralmente de dezembro a janeiro de cada ano. Apesar de ser do conhecimento da grande maioria dos professores, é bom relembrar que durante o mês de janeiro os docentes do ensino superior particular, via de regra, não estão de férias, mas gozando o recesso de 30 dias garantido no dissídio coletivo da categoria.

Tanto nas férias, também de 30 dias, e gozadas na maioria das instituições no mês de julho de cada ano, como no recesso, o professor não poderá ser convocado pela sua empregadora para realização de qualquer atividade.

As férias e o recesso devem constar obrigatoriamente do calendário letivo da instituição, e ser levado ao conhecimento do professor até a segunda quinzena do início de cada período letivo.

Para evitar surpresas desagradáveis no início de mais um período letivo, recomendamos que professor fique atento às orientações que o Sindicato dos Professores do Estado de São Paulo – SIMPRO-SP -, disponibiliza em seu site.

Reproduzimos abaixo as mais importantes:
 
» Salários: No Ensino Superior, os salários dos professores deverão ser novamente reajustados em janeiro, o que corresponde à última etapa de composição do índice previsto na convenção. Para fazer o cálculo, basta aplicar 5,5% sobre o salário de março de 2009. Na Educação Básica, o valor do salário de janeiro é igual ao de dezembro. Não há nenhuma possibilidade de que seja diferente.
 
» Redução de carga horária: esse é um dos problemas mais delicados que nossa categoria enfrenta. Se isso ocorrer, entre em contato com o Sindicato. No caso do Ensino Superior, em especial, os professores devem ficar atentos para a possibilidade de que sejam solicitados a pedir "licença sem remuneração", na hipótese de que não tenham sido formadas turmas para sua disciplina. Diante dessa situação, o interessado também deve procurar o SINPRO-SP.

IMPORTANTE: Qualquer alteração na carga horária depende da concordância recíproca e por escrito. Se a proposta de alteração é de iniciativa do professor e a escola não concordar, o professor deve manter a carga horária ou pedir demissão. No caso da proposta vir por parte da escola, o direito é o mesmo: se o professor não concordar com a redução, cabe a escola manter a carga horária ou demitir sem justa causa, pagando todos os direitos trabalhistas.
 
» Registro em carteira: é obrigatório e deve coincidir rigorosamente com o início efetivo das atividades no novo emprego. Portanto, a data do registro deve ser a da primeira reunião de planejamento.

» Cuidado com a carteira profissional: protocole a entrega da carteira profissional para que a escola proceda ao registro do contrato de trabalho. Como se trata de um documento essencial para a vida profissional do interessado, inclusive a aposentadoria, toda a cautela é pouca.
 
» Não hesite: em caso de dúvida, visite o site do SINPRO-SP (www.sinprosp.org.br) e, se preciso, entre em contato com o Sindicato.
 
Outra informação relevante refere-se ao professor que foi demitido no recesso escolar ou no início das aulas. Neste caso, o docente terá direito a garantia semestral de salários, que segundo o SIMPRO/SP “é uma conquista da categoria, prevista na convenção coletiva que procura dificultar a demissão imotivada”.
 
A garantia semestral é uma indenização para professores que contam com pelo menos um ano na data base. Caso o professor não seja demitido no término de cada período letivo (nos prazos previstos na convenção coletiva), ele terá direito a receber os salários do término do aviso prévio até o final do semestre – garantia semestral.
 
Outra questão que deve ser objeto de atenção dos professores é sobre a aplicação dos direitos que lhes são assegurados no Plano de Carreira da instituição. Para que se inteirem do assunto, orientamos que os nossos leitores acessem o post que a respeito publicamos e cujo link encontra-se abaixo, notas (2).
 
Segundo informações colhidas junto ao SNPRO-SP, ainda não foram iniciadas as tratativas com relação ao aumento salarial dos professores para o ano de 2011.
Lembrem-se sempre do que disse um dia Rui Barbosa:

"Quem não luta pelos seus direitos não é digno deles".
Notas:
(1)- http://www.sinprosp.org.br/noticias.asp?id_noticia=1337
(2)--http://blfranco.blogspot.com/2011/01/plano-de-carreira-docente-nas.html

Plano de Carreira Docente nas Instituições Particulares






As instituições de ensino particulares são hoje obrigadas a possuir um plano de carreira para o seu pessoal docente. Tal exigência está consignada nos instrumentos de avaliação do MEC/INEP. Até recentemente era também exigido das instituições que tal plano estivesse homologado pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Hoje, basta que tal instrumento tenha sido protocolizado naquele órgão, que a instituição atenda as exigências formuladas pelo MEC/INEP.

A existência de um plano de carreira gera um grande benefício para as instituições, que poderá com maior facilidade estabelecer pagamento diferenciado aos seus professores, o que geralmente é feito em razão da titulação acadêmica que eles possuem, sem ser questionada com base nas disposições do Art. 461 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que dispõe: “Sendo idêntica a função, a todo trabalho de igual valor, prestado ao mesmo empregador, na mesma localidade, corresponderá igual salário, sem distinção de sexo, nacionalidade ou idade”.

O plano de carreira irá permitir que as instituições, com base no que estabelece o parágrafo 2º do citado Artigo, estabeleçam salários diferentes para os seus professores. Assim dispõe aquele dispositivo legal: “Os dispositivos deste artigo não prevalecerão quando o empregador tiver pessoal organizado em quadro de carreira, hipótese em que as promoções deverão obedecer aos critérios de antigüidade e merecimento”.

É importante ressaltar que as promoções concedidas aos professores não poderão ser feitas apenas com base na sua ascensão acadêmica, mas sim, alternadamente, por merecimento e antiguidade, conforme reza o disposto no parágrado 3º do Art. 461 antes citado: “No caso do parágrafo anterior, as promoções deverão ser feitas alternadamente por merecimento e por antigüidade, dentro de cada categoria profissional”.

A existência de um plano de carreira evita que a instituição seja obrigada a pagar salário idêntico ao professor que acaba de admitir em detrimento daqueles já antigos de casa e/ou para aqueles que não possuem titulação acadêmica.

Para o Prof. Edgar Gastón Jacobs Flores Filho, “O plano de carreira, portanto, é a forma jurídica de fugir da regra geral de isonomia entre os trabalhadores. É um instrumento especialmente importante para uma entidade que quer valorizar de maneira diferente pessoas diferentes que desempenham a mesma função. Trata-se de um instrumento importante para as Instituições de Ensino, um instrumento que impede ações trabalhistas voltadas para a equiparação salarial ao mesmo tempo que valoriza, no mínimo, o merecimento e a antiguidade dos docentes. E, como visto, não se trata apenas de uma ferramenta de gestão. O plano de carreira é uma ferramenta jurídica que deve ser criada também com a participação de profissionais do direito, aptos a complementar as estratégias de administração de pessoal com abordagens técnicas que garantem a validade do documento perante o Ministério do Trabalho e Emprego”. (1).

Falamos no início deste post que o MEC/INEP não exigem mais que os planos de carreiras estejam homologados nos órgãos competentes. Para eles, basta que esteja protocolizado. Todavia, tal questão, sob a ótica dos Tribunais Superiores do Trabalho tal legislação trabalhista tem outra interpretação.

O Tribunal Superior do Trabalho – TST – em análise de diversas ações versando sobre a equiparação salarial decidiu diversas ações sobre equiparação salarial e produziu uma súmula, com força de norma, na qual impõe:

Súmula 6 - Equiparação salarial. Art. 461 da CLT.

I - Para os fins previstos no § 2º do art. 461 da CLT, só é válido o quadro de pessoal organizado em carreira quando homologado pelo Ministério do Trabalho, excluindo-se, apenas, dessa exigência o quadro de carreira das entidades de direito público da administração direta, autárquica e fundacional aprovado por ato administrativo da autoridade competente. (ex-Súmula nº 06 - Res 104/2000, DJ 18.12.2000, grifo nosso).

Segundo o Prof. Gastón antes citado, “a partir dessa súmula, as entidades que desejassem utilizar plano de carreira para diferenciar os salários de seus trabalhadores estariam obrigadas a homologar o plano no Ministério do Trabalho e Emprego, mesmo que, eventualmente, alguns sindicatos ou mesmo servidores do Ministério, possam preferir outros meios, como acordos ou convenções coletivas”.

Nesse sentido o próprio Ministério do Trabalho e Emprego, na portaria vigente – a Portaria SRT/MTE nº 02, de maio de 2006 – assume a tarefa de fazer a homologação, nos seguintes termos:

Art. 1º Fica delegada aos Delegados Regionais do Trabalho a competência para homologar os Quadros de Carreira das empresas, exceto os das entidades de direito público da administração direta, autárquica e fundacional da União, dos Estados, Municípios e Distrito Federal.

Art. 2º A análise dos processos de pedidos de homologação de quadros de carreira ficará a cargo das Seções de Relações do Trabalho que, após a verificação do que, após a verificação do cumprimento dos requisitos estabelecidos do art. 3º, submeterão o processo à decisão do titular da Delegacia Regional do Trabalho.

Art. 3º Para fins de homologação, os quadros de carreira deverão conter os seguintes requisitos:

I - discriminação ocupacional de cada cargo, com denominação de carreiras e suas subdivisões;

II - critérios de promoção alternadamente por merecimento e antiguidade;

III - critérios de avaliação e desempate.

Parágrafo único. Os critérios adotados pela empresa não podem restringir o acesso do empregado às promoções.

Art. 4º O despacho homologatório do quadro de carreira deverá ser publicado no Diário Oficial da União.

Apesar desse entendimento dos nossos Tribunais do Trabalho, recentemente o MEC/INEP alteraram os seus instrumentos de avaliação das instituições de ensino, no que tange à obrigatoriedade dos planos de carreira, e onde constava a expressão “homologado por órgão do Ministério do Trabalho e Emprego” passou a exigir que ele seja tão somente protocolizado.

Para aqueles leitores que desejam se inteirar sobre o assunto dos instrumentos de avaliação do MEC/INEP e as alterações que foram recentemente introduzidas, recomendamos a leitura do post de Roberta Muriel Cardoso Rocha, no site Gestão Universitária (2).

Toda essa confusão pode gerar sérios transtornos para as instituições de ensino que, mesmo tendo um plano de carreira protocolado, mas não homologado, poderá sofrer ações trabalhistas de equiparação salarial, eis que a Justiça do Trabalho só aceita esse instrumento com válido após à sua homologação – ver Súmula 6 - Equiparação salarial. Art. 461 da CLT – TST).

Notas:

(1)- Prof. Dr. Edgar Gastón Jacobs Flores Filho,Bacharel em Direito - PUC/MG, Mestre em Direito Econômico –UFMG, Doutor em Direito Privado - PUC/MG. Professor Adjunto na UFOP e na PUC/MG. Ex-Procurador do Município de Ouro Preto/MG.

(2)-http://www.gestaouniversitaria.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=23514:avaliacao-contratem-um-cerebro-urgentemente&catid=228:roberta-muriel-cardoso-rocha&Itemid=24

28 de janeiro de 2011

Para você que adora um churrasco


A informação que postamos é atribuída ao Prof. Tetuo Hara, Dept.Eng.Agricola/CCA/UFV Consultor Técnico do CENTREINAR - Centro Nacional de Treinamento em Armazenagem Campus da Universidade Federal de Viçosa BMES – Associação e diz o seguinte:




Eucalipto tratado - Interesse público. De olho na churrasqueira, na lareira, no fogão a lenha. Eucalipto tratado.

Em Itaiópolis (SC), cidade próxima a Mafra-SC, houve a ocorrência com três mortes que poderiam ter sido evitadas.

Três amigos faziam um churrasco e na falta de lenha ou Carvão, utilizaram madeira de um poste usado e descartado, de transmissão elétrica para dar continuidade ao fogo, desconhecendo que os mesmos são tratados em autoclave, utilizando-se o cobre, o cobalto e o arsênico no processo.

A volatização do arsênico contaminou a carne e os três acabaram morrendo envenenados.

Em Monte Castelo existe uma empresa, de propriedade do Presidente do Rotary Club daquela cidade, que efetua o tal processo de autoclave, atendendo todas as exigências ambientais, não comprometendo o meio-ambiente.

O problema é que a vulgarização do uso da madeira assim tratada poderá trazer problemas, pela falta de informação, uma vez que não pode ser serrada ou furada sem recolhimento dos resíduos e, nenhum alimento deve ser cultivado próximo aos locais de implantação de postes ou outros elementos confeccionados com esta madeira.

A queima é totalmente proibitiva porque a simples inalação dos gases poderá ser fatal . A madeira tratada é de fácil identificação, pois adquire uma coloração esverdeada decorrente do óxido de cobre e não comporta a formação de fungos ou líquens como as não tratadas.

"Divulguem esta mensagem, a fim de evitarmos perda de vidas por falta de informações", solicita o Prof. Hara".
Como nós brasileiros gostamos muito de um churrasquinho, vale a pena ficar atento à mensagem acima.

Vamos seguir os conselhos de Willian Shakespeare:

“O homem cauteloso jamais deplora o mal presente; emprega o presente em prevenir as aflições futuras.”