30 de junho de 2011

SEMINÁRIO - INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS SUPERIORES


IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


A Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior (ABMES), vai realizar no próximo dia 4 de julho, em Brasília, DF., um seminário que contará com a participação de representantes do INEP, da CONAES e outros especialistas em avaliação. Na oportunidade serão discutidos os novos Instrumentos de Avaliação dos Cursos de Graduação.

As inscrições para o evento já se encerraram e não há mais vagas disponíveis.

A ABMES irá disponibilizar para todos os interessados, no seu site, no dia do evento, um link para que o evento seja acampanhado ao vivo pela internet.

IMPORTANTE - SERÁ GRATUÍTO

Horário 14h30min

É uma ótima oportunidade para que gestores, coordenadores e professores possam receber valiosos subsídios no que diz respeito à avaliação de curso.

O site da ABMES, é o seginte:

PROFESSOR(A): VOCÊ CONHECE OS SEUS DIREITOS?

GOOGLE  IMAGES


 Como o nosso blog é acessado por muitos leitores que lecionam no ensino superior, trazemos informações importantes disponibilizadas no site do Sindicato dos Professores de São Paulo - SINPRO-SP -, relativamente aos direitos dos docentes.

Estamos chegando ao fim de mais um semestre letivo. É hora de ficar atento às mudanças que sempre ocorrem nas instituições de ensino, especialmente no quadro de docentes.

Dúvidas sobre fim de semestre - Ensino Superior

DEMISSÃO POR INICIATIVA DA MANTENEDORA

 
Quem tem estabilidade?

Têm estabilidade no emprego os professores que estiverem em vias da aposentadoria, em licença por acidente de trabalho, licença-maternidade ou forem portadores de doenças graves.
 
Que prazo tem a escola para me demitir no meio do ano?

A demissão ocorrida no mês de junho, com aviso prévio a ser trabalhado, deverá ser formalizada com antecedência de 30 dias do início das férias. Sendo o aviso prévio indenizado, a demissão poderá ser formalizada até um dia antes do início das férias.


Quais as providências a serem tomadas quando a mantenedora comunicar a demissão sem justa causa?
A instituição deve comunicar a demissão por escrito, em duas vias. O professor deve datar e assinar o documento, ficando com uma das vias. As indenizações variam de acordo com o período em que o professor for demitido.


Quais as providências a serem tomadas quando a mantenedora comunicar a demissão por justa causa?
A instituição deve citar, por escrito, o motivo que gerou a demissão por justa causa. Fique com uma via para que possa se defender. Se quiser, escreva nas duas vias “não concordo com os termos; ciente em xx/xx/xx (data da dispensa). Entre em contato com o SINPRO-SP o mais rápido possível.

Se eu for demitido no meio do ano, como fica a bolsa de estudo do(s) meu(s) filho(s)?
No caso de dispensa sem justa causa durante o ano letivo, ficarão garantidas ao professor, até o final do ano letivo, as bolsas de estudo já existentes.

Onde deve ser feita a rescisão de contrato?

Se o professor tiver mais de um ano trabalhado na escola, a homologação deverá ser feita no SINPRO-SP; se tiver menos de um ano de casa, a rescisão será feita na própria escola. Nesse caso, o professor pode comparecer ao SINPRO-SP para conferir se a rescisão foi paga corretamente. Caso haja algum problema é possível cobrar a diferença. Importante: só assine a rescisão de contrato se receber o valor correspondente ao que estiver constando no Termo de Rescisão.
 
O que é garantia semestral de salários?

É uma importante conquista dos professores, prevista na convenção coletiva (veja aqui a cláusula) que procura dificultar a demissão imotivada. Ela garante que, no caso de demissão sem justa causa, a instituição de ensino fique obrigada a pagar salários ao professor até o fim do semestre, caso não respeite as regras e prazos estabelecidos nas normas coletivas.
 
PEDIDO DE DEMISSÃO DO PROFESSOR

 
Quais os procedimentos para pedir demissão?


No pedido de demissão existem três casos:

1) O professor cumpre o aviso prévio de 30 dias e recebe o pagamento por esses 30 dias;
2) O professor não cumpre o aviso prévio e, se a mantenedora não concordar em dispensá-lo de seu cumprimento, o mês correspondente ao aviso será descontado das verbas rescisórias;
3) O professor não cumpre o aviso prévio e, se a mantenedora concordar em dispensá-lo, nada será descontado das verbas rescisórias.  Neste caso, o professor não recebe os 30 dias relativos ao aviso prévio.

Como deve ser a carta de pedido de demissão?
A carta de demissão deve ser feita em duas vias: uma via, datada, assinada e carimbada pela mantenedora, fica em poder do professor.

Posso pedir demissão durante as férias?
Não.
 
Posso pedir para cumprir o aviso prévio durante o mês de julho?

Sim, neste caso deve cumprir a sua carga horária somente com atividades docentes.
 
Se eu pedir demissão no meio do ano, como fica a bolsa de estudo do(s) meu(s) filho(s)?

No caso de pedido de demissão durante o ano letivo, o professor não garantirá a bolsa até o final do ano letivo.

FGTS E SEGURO DESEMPREGO COMO SABER SE A MANTENEDORA ESTÁ DEPOSITANDO O MEU FGTS CORRETAMENTE?


O professor deve comparecer a qualquer agência da Caixa Econômica Federal com a carteira de trabalho e solicitar um extrato analítico do FGTS.
 
Como devo fazer para sacar o FGTS em caso de demissão?

O professor deve comparecer em qualquer agência da Caixa Econômica Federal (CEF), após a homologação, com os seguintes documentos pessoais: carteira profissional (CTPS), RG, CPF, cartão do PIS, e os documentos entregues pela escola na homologação: Termo de Rescisão em (3 vias), GRRF, chave de identificação.


Se eu pedir demissão, posso sacar o FGTS?
Não. Em caso de pedido de demissão, o seu FGTS fica como conta inativa na Caixa Econômica Federal e pode ser retirado nas seguintes situações: aposentadoria, aquisição da casa própria (ou amortização do financiamento), soropositividade (HIV), câncer ou ainda se o titular da conta permanecer três anos fora do regime do FGTS.

Quem tem direito de receber o seguro-desemprego?

De acordo com o Ministério do Trabalho, tem direito de receber o benefício o trabalhador demitido sem justa causa que:

- tenha recebido salários consecutivos nos últimos seis meses;

- tenha trabalhado pelo menos seis meses nos últimos 36 meses;

- não esteja recebendo nenhum benefício da Previdência Social de prestação continuada exceto auxílio-acidente ou pensão por morte;
- não possui renda própria para seu sustento e de seus familiares.

Como faço para receber o seguro-desemprego?

Após a homologação, dar entrada no seguro-desemprego com o formulário Comunicado de Dispensa (CD) e documentos relacionados no verso do mesmo, nos postos do Poupa Tempo (www.poupatempo.sp.gov.br) ou nas Gerências Regionais do Trabalho. Prazo é de 120 dias a contar da data da dispensa.

Qual é o valor do seguro-desemprego?

O valor do seguro-desemprego varia de acordo com a faixa salarial e tempo de serviço, sendo pago entre 3 e 5 parcelas. O pagamento é feito na Caixa Econômica Federal.
 
HOMOLOGAÇÃO E VERBAS RESCISÓRIAS
 
O que é homologação?

A homologação é a conferência das verbas rescisórias feita pelo Sindicato.


O que são verbas rescisórias?
Trata-se de tudo o que o professor tem a receber no momento que se desliga da instituição. As verbas rescisórias são: aviso prévio, saldo de salários, 13º salário proporcional, férias proporcionais acrescidas de 1/3 (dependendo do período aquisitivo) e indenizações previstas na convenção coletiva.
 
Qual o prazo para o pagamento das verbas rescisórias?

Se o aviso prévio for indenizado, 10 dias corridos após a data de demissão. Caso o aviso prévio seja trabalhado, um dia útil após o seu cumprimento (lembre-se: o aviso prévio é de 30 dias).
 
Existe prazo para homologar a rescisão de contrato?

A partir do 20º dia de atraso da homologação, a contar da data estabelecida pela legislação para o pagamento das verbas rescisórias, a mantenedora estará obrigada a pagar ao professor multa diária de 0,2% (dois décimos percentuais) do salário mensal. A instituição estará desobrigada de pagar a referida multa quando o atraso da homologação vier a ocorrer, comprovadamente, por motivos alheios a sua vontade. O SINPRO-SP está obrigado a fornecer comprovante de comparecimento sempre que a instituição se apresentar para homologação das rescisões contratuais e comprovar a convocação da mantenedora.
 
Qual a forma de pagamento das verbas rescisórias?

O pagamento das verbas rescisórias deve ser feito com cheque visado, depósito bancário ou dinheiro.
 
O que devo receber em uma demissão sem justa causa?

As verbas rescisórias são: aviso prévio, saldo de salários, 13º salário proporcional, férias proporcionais acrescidas de 1/3 (dependendo do período aquisitivo) e indenizações previstas na convenção coletiva, dependendo do tempo de serviço do professor e data da demissão.


O que devo receber se eu pedir demissão e cumprir o aviso prévio?
Saldo de salários (aviso prévio), 13º salário proporcional, férias proporcionais (quando houver), acrescidas de 1/3.

O que devo receber se eu pedir demissão e não cumprir o aviso prévio?

Saldo de salários, 13º salário proporcional, férias proporcionais (quando houver), acrescidas de 1/3. A escola pode descontar um mês de salário das verbas rescisórias se o aviso prévio não for cumprido.

Se houver diferença na conferência das verbas rescisórias, o que acontece?

Se for identificada alguma diferença nas verbas rescisórias, a homologação será feita com ressalva, garantido assim o direito do professor. Caso a mantenedora não pague a diferença, o professor terá o direito de mover uma ação trabalhista.
 
Como posso recorrer para receber as diferenças das verbas rescisórias?

É permitido que o trabalhador reclame diferenças salariais dos últimos cinco anos e dos depósitos do FGTS dos últimos 30 anos, até o prazo máximo de 2 anos a contar da data do desligamento. Mas vale o alerta: não deixe para última hora!
 
Nota deste blog:

Aconselhamos aos leitores professores que nos seus passeios virtuais acessem sempre a página do SINPRO-SP.

Nunca se esqueçam do brocárdo latino que diz:

"Dormientibus non succurrit jus" - O Direito não socorre aos que dormem.

Boas férias para todos.

Você está pronto para mudanças na sua vida profissional?

Google Images - ilustração utilizada por este blog


O artigo que reproduzimos sob o título "Como é o seu terno?", traz um alerta às pessoas que ao atingir um certo patamar na vida profissional, estacionam e descuidam da educação continuada.

Com o avanço vertigionoso da tecnologia, aceleraram as mudanças sociais, dando-se nova configuração ao mercado de trabalho. Em decorrência disso, o profissional de hoje precisa precisa dispor e mobilizar conhecimentos para improvisar, isto é, para agir em situações não previstas.

O texto é bastante elucidativo.

 
Como é o seu terno?

Muitas vezes o terno que um homem usa mostra muito como estão suas ideias.

No começo dos anos 90, fui convidado por um grande grupo empresarial para fazer uma série de palestras pelo Brasil para falar para as suas equipes sobre os novos caminhos que a companhia iria tomar.

O convite para as palestras veio do diretor de treinamento do grupo. Inicialmente marcamos um almoço em um restaurante da moda e embora tivesse ouvido muito falar dele eu não o conhecia pessoalmente.

Ele chegou em um carro importado (que naquela época mostrava o muito mais o status de uma pessoa do que nos dias de hoje), vestido com muita elegância, mas apesar de tanta sofisticação, pude descobrir um profissional muito simples e com ideias muito avançadas.

Passamos a viajar juntos e em uma das viagens de avião que fizemos juntos, ele me disse que o status profissional de um homem representado pelo terno que ele usava. No caso dele sempre mandava fazer os seus ternos, com um alfaiate renomado e com tecidos especiais. Para ele, isso era a marca que definia quem ele era profissionalmente.

Na hora, até fiquei meio sem graça, porque eu nunca pensei dessa maneira, e sempre fui muito simples no meu modo de me vestir. Gosto muito de um blazer, de uma calça bem à vontade, de andar bem arrumado, mas nada de muito sofisticado.

Porém, aquela história ficou na minha cabeça. Comecei a pensar nos ternos e vestidos como símbolo de status inclusive passei a incorporar gravatas sofisticadas em meu vestuário. Nunca mais fui sem blazer nas reuniões de negócios.

Fizemos dez palestras em cidades diferentes e ele me iniciou no mundo das organizações. Sempre com muito cuidado me explicou como entender uma organização, se apresentar nos eventos e como fazer as negociações. Certamente ele foi a pessoa que me apresentou ao mundo das organizações de uma maneira profunda e por isso eu serei eternamente grato por ter tido esse trabalho.

Depois de alguns anos sem nenhum contato pessoal, recebi um telefonema dele me contando que havia saído daquele grupo empresarial, e que estava indo trabalhar em uma das grandes consultorias do Brasil, que o convite era irrecusável, ele estava cansado dos jogos de poder da empresa e estava partindo para um novo desafio. Achei um péssimo negócio para a sua carreira mas como respeitava a sua inteligência elogiei a sua decisão.

Depois de algum tempo me convidou para um café e quando o encontrei, percebi que o terno dele já não tinha o caimento dos que ele usava antigamente. Já era um terno comprado pronto em um dos grandes alfaiates mas não feito sob medida. Mas o que mais me chamou a atenção é que percebi que as ideias dele estavam ultrapassadas e que ele reclamava muito da vida e das dificuldades.

Senti vontade de falar para ele que o mundo tinha mudado, e que continuava mudando, e por isso ele precisava se atualizar para estar bem preparado. Mas ele falou o tempo todo e eu não fiquei a vontade para comentar nada em profundidade.

Mais um tempo se passou, e o encontrei novamente. Dessa vez, ele me contou que havia saído daquela empresa porque estava montando a própria empresa de consultoria. Deu uma série de explicações para ter tomado essa decisão, mas a principal: que era momento de empreender o seu próprio negocio me deixou preocupado porque me pareceu que ele estava abrindo a sua empresa porque não estava arrumando um emprego a sua altura.

Só que percebi dessa vez que ele usava um terno muito simples, comprado pronto em algum desses grandes magazines.

Há alguns meses, ele me ligou e marcamos uma conversa. Nos encontramos e ele me disse que tinha fechado a sua empresa, porque estava sem trabalho, era muito difícil, havia muita concorrência, e que na verdade não tinha vocação para ser empresário.

Contou-me também que estava se separando de sua esposa e que estava tomando remédios, pois sua pressão estava alta e seus exames não estavam bons.

Daquela vez, o terno dele já estava bem surrado. Mas o que mais me chamou a atenção foram as ideias dele, que estavam totalmente fora da realidade do mundo dos negócios.

Percebi a sua angústia, vi que ele controlou a queda de algumas lagrimas e então desabafou que havia vendido todo o seu patrimônio, estava com dívidas, e me pediu para ajudá-lo a se recolocar no mercado de trabalho.

Meu coração estava estraçalhado, pois era triste ver um amigo e profissional que eu respeitava naquela situação! Pensei como alguém como ele poderia ter tido uma queda tão vertiginosa na vida.
 
Respondi que iria ajudá-lo a se recolocar sim, mas que antes ele precisaria aprender a ver como as empresas e os profissionais pensavam e agiam para ter sucesso no mundo de hoje.

Sugeri que ele deixasse de lado alguns hábitos e crenças que já não tinham serventia e não estavam mais adequados à sua nova realidade. Contei a ele uma pequena história, para explicar o que eu estava dizendo:

“Um monge chamou o seu discípulo e juntos foram tomar chá. Depois de algum tempo de conversa, o mestre percebeu que o discípulo não estava compreendendo o que ele ensinava.

A mente do discípulo estava cheia de conceitos e crenças que iam contra o que o mestre estava dizendo, por isso ele não compreendia.

Num dado momento, o mestre resolveu que tomariam vinho. Tomou a sua xícara e jogou fora o chá. Depois a encheu com vinho. Então, ordenou ao discípulo que fizesse o mesmo.

Enquanto tomavam o vinho, o mestre explicou pausadamente: Para beber vinho numa xícara cheia de chá é necessário primeiro jogar fora o chá, para depois colocar o vinho.

Pois é assim também com sua mente. Enquanto você não jogar fora seus velhos conceitos e crenças, não vai colocar nela o que estou lhe ensinando.”

Meu amigo, sorriu, sinalizando que tinha entendido minha mensagem. Ele aceitou a minha proposta e começamos a trabalhar.

Meu novo livro é sobre tudo o que tenho ensinado ao meu amigo e que quero compartilhar com você.

Como sempre, espero ajudar você a realizar todos os seus objetivos de vida!

Gostou?

Então deixe que eu lhe conte uma novidade: o nome do meu novo livro provavelmente será PROBLEMAS? OBA! Ele já está em fase final de produção e vai ser lançado muito em breve.

Nele falo que resolver um problema que alguém apresenta para você é aproveitar a chance de mostrar sua competência no trabalho, seu valor como profissional e também de ganhar mais dinheiro. Além, é claro, de poder fazer uma diferença positiva no mundo!

O que você acha disso? Gostaria de saber a sua opinião.

Um grande abraço, com meu muito obrigado, do fundo do coração!

http://shinyashiki.uol.com.br/blog/index.php/2011/06/como-e-o-seu-terno/

Fonte:
Portal Uol
Notícia disponibilizada no Portal http://www.cmconsultoria.com.br/


29 de junho de 2011

Academia Brasileira de Letras (ABL): quando os imortais agem como mortais.




Em uma festividade em homenagem ao escritor José Lins do Rego realizada na Academia Brasileira de Letras (ABL), o presidente daquela entidade, Marcos Vilaça, entregou à Ronaldinho a medalha Machado de Assis, a maior das honrarias da ABL. Essa foi a primeira vez que um jogador de futebol recebeu a medalha.

Desnecesário comentar esse fato.

Assista o vídeo abaixo.

Ele diz tudo e algo mais.

Concordo integralmente: fiquei decepcionado com os IMORTAIS !!!

 
https://mail.google.com/mail/?ui=2&ik=197a39f388&view=att&th=130cca0f2af3bbfb&attid=0.1&disp=safe&zw

Em tempo: Como jogador de bola, ainda posso ter um dia admirado o Ronaldinho. Hoje ele deveria se juntar com o Ronaldão, e com a grana que tem passar o dia cantando pagode.

BOLSAS CAPES - PROGRAMA DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR

GOOGLE IMAGES - IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


Capes lança novo programa de doutorado sanduíche no exterior e duplica número de bolsas

 
Foi lançado nesta terça-feira, 28, o novo Programa Institucional de Bolsas de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE). A iniciativa substitui o antigo Programa de Doutorado no País com Estágio no Exterior (PDEE) no sentido de ampliar, desburocratizar e facilitar o processo de concessão de bolsas de estudo de estágio no exterior. A primeira novidade do novo programa é a duplicação do atual número de bolsas.

Cada curso de doutorado receberá em 2011 duas cotas de bolsa, que representa 12 meses de estudo, que pode ser utilizada por até três estudantes em um período mínimo de quatro meses. A previsão é de que sejam oferecidas pela Capes 2.800 bolsas de doutorado sanduíche neste ano, parte de uma oferta crescente que deve chegar a 7.669 bolsas de doutorado sanduíche em 2014. O PDSE faz parte da meta do governo federal de chegar a 75 mil bolsistas no exterior, até 2014.

Para participar do PDSE, alunos de cursos de doutorado habilitados devem reunir a documentação necessária para a seleção prévia na instituição de ensino superior e encaminhá-la ao coordenador do programa de pós-graduação. A coordenação do programa irá compor uma comissão para análise das propostas e escolherá os candidatos aptos a participar. Então, o candidato apto faz sua inscrição online no site da Capes.

As instruções detalhadas constam no Regulamento do Programa Acesse a portaria que implementa o programa e conheça mais sobre o PDSE

http://www.capes.gov.br

Fonte: Portal Capes
Notícia disponibilizada no Portal http://www.cmconsultoria.com.br/

Marcha pela simplificação e redução das nossas leis


Google Images - meramente ilustrativa


A começar pela nossa Lei Maior, a Constituição vigente de 1988, temos indubitavelmente um sem-número de lei vigendo em nosso país. Segundo levantamento feito o Brasil tem mais 18o mil normas legais, ninguém sabendo ao certo quantas delas já foram revogadas e quantas ainda estão em vigor.

Some-se a isso, recente manifestação do STF demonstrando o seu desejo de participar do processo de enxugamento legal, especialmente daquelas leis que já foram julgadas inconstitucionais e que ainda são invocadas em processos. Apenas isso já representaria uma redução significativa na quantidade de leis vigentes. O problema maior é que nem mesmo o STF sabe ao certo quantas seriam essas leis.

Existe, e já faz muito tempo, na Câmara Federal um grupo especial que terá como tarefa avaliar todas essas leis e eliminar tudo o que houver de excesso. A ideia é expurgar de uma vez por todas as leis efetivamente revogadas, extinguir aquelas que a modernidade tornou caducas, unir as que se repetem e eliminar as que colidem entre si. Sobrarão, se tudo der certo, não mais do que mil leis no País.

Ocorre que esse trabalho, apesar das dificuldades que lhes são inerentes, não caminha, e a cada dia surgem novas leis, decretos e instruções normativas, sem contar com o excessivo uso de Medidas Provisórias.

Se nem mesmo os operadores do Direito (Juízes, promotores e advogados) conseguem ter a mínima noção do conteúdo desse conjunto normativo existente em nosso país, imaginem o cidadão comum que é obrigado a conhecer por força do que dispõe o preceito jurídico (Lei de Introdução ao Código Civil) que ninguém pode alegar desconhecimento da lei para deixar de cumpri-la ou para se eximir das consequências de seu descumprimento. Trata-se de um princípio que nos foi legado pelo direito romano: “Neminem ignorantia legis excusat”, ou a ignorância da lei não escusa ninguém, e que vigora até hoje.

Já que o povo brasileiro gosta tanto de realizar marchas – vide Globo Repórter exibido na noite de ontem -, já está na hora de realizar uma que exija a redução de leis no Brasil.

E mais: nós pagamos muito bem aos nossos parlamentares, e eles precisam justificar os seus salários nos proporcionando um menor número de leis, mas que sejam efetivamente eficazes, especialmente em face deles.

A VINGANÇA 'SARAMALIGNA"


Charge de Gerson Kauer- www.espacovital.com.br

Vejam uma história de vingança que envolve operadores de Direito e uma servidora de um cartório.

O preço da velha Mercedes


Dona Mercedes, é uma senhora já bem passada nos seus 60 e tantos de idade, notoriamente conhecida por um habitual mau humor. Vez por outra ela ia a um cirurgião plástico para dar uma enganada facial, por meio de uma sessão de botox.


Dona Mercedes trabalhava no cartório de uma vara cível de grande comarca, onde sua principal atividade era cuidar do numerário da serventia. Chegara a esse posto em função de seus anos de casa e da não adaptação à era da informática.


Nos seus 30 anos de trabalho de fiel obediência aos preceitos do argentário escrivão, ela colecionara antepatias entre advogados, ódios entre estagiários e inimizades entre os próprios colegas de serventia que achavam que o convívio com ela era, justamente, o peso maior da rotina das atividades cartorárias.


Certo dia urdiu-se a vingança. Cinco reais de um funcionário, dez de um advogado, dois reais de uma estagiária etc. e assim reuniu-se o preço para bacar a veiculação de um anúncio classificado em jornal dominical para a sacanagem.


O texto era chamativo, curto e objetivo e sua veiculação foi encomendada diretamente num desses pontos de coleta de anúncios onde - sabia-se - ninguém pedia a identidade do anunciante; os cuidados básicos tinham que ser apenas dois. Primeiro, levar o texto já digitado; segundo, pagar em dinheiro.


No domingo, a turma do cartório curtiu o caderno de motos e carros, com a veiculação encomendada: "Vendo uma Mercedes velha. Faço bom preço. Aceito propostas. Negócio diretamente com a proprietária, no fone ...."
Claro que o anúncio continha a indicação do número que deveria ser chamado e cujo telefone tilintava diretamente na mesa de Dona Mercedes.


Na segunda-feira, os telefonemas se sucederam. E, os diálogos, foram mais ou menos assim:


É daí que tem uma Mercedes velha pra vender?


- Filho da p...


E outro:


- Qual o preço da Mercedes velha anunciada?


- Pergunta prá tua mãe!...


E também:


- Faço-lhe uma proposta: para levar a Mercedes velha, dou em troca um lote na zona nova de Tramandaí.


- Fica com o terreno pra que a tua mulher tenha um lugar onde ela possa ...


E ainda:


- Li que é velha, mas pergunto: a Mercedes está em razoável estado?


- Igual ao estado das tuas guampas, seu corno!


* * * *


O escrivão percebeu a zoeira e sentiu pelos ares "inocentes" dos servidores que a pantomima era coisa encomendava. Foi ao diretor do Foro, com quem ficou resolvido que o telefone, por alguns dias, seria retirado do gancho e que uma sindicância seria aberta.


A segunda determinação não chegou a ser cumprida. Já com o tempo de aposentadoria implementado, Dona Mercedes encaminhou no mesmo dia o pedido de jubilamento, logo atendido.


A seus poucos amigos, ao sair, ela teria confidenciado que aceitava tudo.

Menos ser chamada de "a velha Mercedes"...

Fonte
http://www.espacovital.com.br/


Nota deste blog


Ao tempo que exerci a advocacia "trombei" com algumas "Mercedes" na minhas idas aos cartórios dos fóruns. Ao ler a história acima, sinto-me vingado pelos dissabores que passei.


Infelizmente a disposição contida no Art. 133 da nossa Constituição: "O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei", não tem a eficácia esperada.

Nota Explicativa:

No texto vamos encontrar duas expressões de uso quase que exclusivo dos gaúchos. Vejam o significado:

guampas = chifre, no texto usado como "corno"

e

jubilamento = aposentadoria.

28 de junho de 2011

FESTAS DE FORMATURA E DE DESPEDIDA DE SOLTEIRO: CUIDADO AO INOVAR NAS SUAS COMEMORAÇÕES.



Charge de Gerson Kauer- http://www.espacovital.com.br/


Hoje tem sido muito comum a organização de festas diferentes para comemorar formaturas e despedidas de solteiro. Os adeptos a esse tipo de eventos precisam ficar preparados para as surpresas que podem acontecer.

Como exemplo, fomos encontrar uma história que nos é contada no site Espaço Vital e que é abaixo reproduzida. 

A garota de programa de terceira idade

Para comemorar 25 anos de formatura, respeitáveis operadores do Direito decidiram inovar. Com a concordância de seus (suas) respectivos (as) cônjuges, estabeleceram que após o jantar comemorativo, realizado no restaurante de um hotel vip, a confraternização compreenderia também "conhecer de perto" a fama de uma das mais badaladas casas de programa de Porto Alegre.

Assim foi feito. A turma chegou aí pela meia-noite e trinta de uma sexta-feira - todos os maridos vigilantes para que suas respectivas esposas não fossem confundidas com as damas da noite.

Tinha tanta gente na casa que algumas socialites ficaram de pé no corredor de acesso. Uma delas, evidentemente já madurona - afinal é meio século de atuação no Direito, ponha-se em cima mais os 24 ou 25 de idade desde o berço até a formatura - postou-se fagueira próxima à entrada. Queria conhecer todos os detalhes extrínsecos de como opera o mundo do sexo.

O vestido, discretamente decotado, revelava que ela estava a fazer um test drive de recente implantação de silicone. E sua faceirice permitia que desavisados imaginassem que ela fosse da casa, talvez uma gerente, ou mesmo uma garota em final de carreira.

Foi nessa hora que um táxi parou na frente da casa, e dele saiu um cidadão de meia idade, pinta de alto executivo. Trazia o paletó nos ombros, camisa de algodão egípcio, gravata de grife frouxa, perfume caracteristicamente másculo. Mais tarde soube-se que ele era um cliente assíduo, que tinha vindo de São Paulo e passara o dia em múltiplas reuniões.

Recém ingressando no ambiente, ele olhou as estranhas no ninho perfiladas no corredor e focou a senhora em questão.

Um tanto decepcionado, foi direto à dona do bordel:

- Eu sou cliente desta casa há anos, vocês já tiveram mulheres mais novas na casa... Não deixem cair o padrão do plantel.

A dama em questão é alvo, até agora, da gozação dos colegas de turma que, para dezembro próximo, estão organizando novo encontro.

Ah...essa próxima confraternização se limitará a um jantar sem outras extensões na madrugada.

Fonte:
http://www.espacovital.com.br/

Nota deste bloguista,

A minha turma de formandos do Curso de Direito da Universidade Braz Cubas já organizou uma festa dos 25 anos (Jubileu de Prata) de formatura. Jantar com as esposas e professores.
No encerramento da festa, um dos nossos colegas, responsável pela organização, ao ser indagado se seria organizado o Jubileu de Ouro (50 anos), disse que sim, com muito chá e bolacha !!!

ARTIGOS NA ÁREA DO DIREITO

Google Images


O site Academus disponibiliza uma série de artigos de livre acesso. Pela qualidade do material produzido, recomendamos aos nossos leitores advogados, professores e estudantes de Direito.

Para acessar, segue o link:





Tratado de Versalhes - 28 de junho de 1919.


Imagem wikipédia


É sempre bom recordar o que aprendemos em História, pois  é uma das formas em que as sociedades interrogam criticamente a si mesmas. Cada época faz a trajetória temporal dos homens as perguntas e solicitações que suas próprias realidades e necessidades sugerem.

Por isso, é bom recordar que em 28 de junho de 1919, o Tratado de Versalhes é assinado, selando a paz com os alemães, após a Primeira Guerra. A Alemanha perde suas colônias, que são repartidas entre os Aliados, e é dividida em duas partes. O país é obrigado a pagar indenizações pelos danos causados pela guerra e fica proibido de formar exército.

O Tratado de Versalhes (1919) foi um tratado de paz assinado pelas potências europeias que encerrou oficialmente a Primeira Guerra Mundial. Após seis meses de negociações, em Paris, o tratado foi assinado como uma continuação do armistício de Novembro de 1918, em Compiègne, que tinha posto um fim aos confrontos. O principal ponto do tratado determinava que a Alemanha aceitasse todas as responsabilidades por causar a guerra e que, sob os termos dos artigos 231-247, fizesse reparações a um certo número de nações da Tríplice Entente.

Os termos impostos à Alemanha incluíam a perda de uma parte de seu território para um número de nações fronteiriças, de todas as colônias sobre os oceanos e sobre o continente africano, uma restrição ao tamanho do exército e uma indenização pelos prejuízos causados durante a guerra. A República de Weimar também aceitou reconhecer a independência da Áustria. O ministro alemão do exterior, Hermann Müller, assinou o tratado em 28 de Junho de 1919. O tratado foi ratificado pela Liga das Nações em 10 de Janeiro de 1920. Na Alemanha o tratado causou choque e humilhação na população, o que contribuiu para a queda da República de Weimar em 1933 e a ascensão do Nazismo.

No tratado foi criada uma comissão para determinar a dimensão precisa das reparações que a Alemanha tinha de pagar. Em 1921, este valor foi oficialmente fixado em 33 milhões de dólares. Os encargos a comportar com este pagamento são frequentemente citados como a principal causa do fim da República de Weimar e a subida ao poder de Adolf Hitler, o que inevitavelmente levou à eclosão da Segunda Guerra Mundial apenas 20 anos depois da assinatura do Tratado de Versalhes.

Fonte
wikipedia

Quer divorciar-se? Faça os cálculos.

Google Images


Aquelas pessoas que estão pensando em divorciar-se já podem contar com uma inestimável ajuda. Uma calculadora britânica pode dar uma dimensão exata de quanto será custo da "brincadeira" !!!

Vejam a notícia: 

Máquina de calcular "antidivórcio" faz sucesso na China
Uma máquina de calcular britânica que estima os custos de um divórcio vem fazendo sucesso entre os casais chineses, que com a invenção começaram a repensar se vale a pena deixar seus pares, informou o diário "Global Times".

A máquina de calcular, inventada pelo departamento de Educação Financeira ao Consumidor do Reino Unido, é um serviço que pode ser acessado através da internet a fim de evitar problemas financeiros que podem surgir depois da separação.

O aparelho calcula as despesas da divisão de propriedades, do litígio, o suporte econômico para as crianças e as perdas de tempo de trabalho, oferecendo depois um número final sobre quanto custa se separar.

O produto, utilizado já por muitos internautas chineses, foi visto a princípio como uma ferramenta de entretenimento, mas após os cálculos que gerou assustou muitos que tinham a intenção de se divorciar.

Um usuário contou, por exemplo, que no seu caso a máquina de calcular estimou que, após o divórcio, de todos os lucros gerados em seu casamento só sobrariam 190 iuanes (US$ 29), e que, além de cobrir as despesas do divórcio, no futuro deveria assumir a despesa mensal de 1.600 iuanes (US$ 247) para sustentar seu filho e pagar a renda da casa.

Além disso, detalhou o usuário, a máquina indicou que não necessariamente ele ficaria com a metade das coisas que comprou com sua esposa, portanto o aconselhou "a valorizar mais seu casamento e a sua família".

Na China, segundo dados do Ministério de Assuntos Civis, mais de 465 mil casais se divorciaram nos primeiros três meses deste ano, com uma média de cinco mil divórcios por dia.

Fonte:
http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2011/06/28/maquina-de-calcular-antidivorcio-faz-sucesso-na-china.jhtm?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter


NOVOS CURSOS DE DIREITO NO PAÍS

Google Images


MEC autoriza a abertura de mais dez cursos de direito pelo país


Serão abertas 1.360 vagas em instituições de ensino superior. No início do mês, ministério anunciou fechamento de quase 11 mil vagas.

O Ministério da Educação publicou nesta sexta-feira (24), no “Diário Oficial da União”, despachos do ministro Fernando Haddad com a homologação de cursos superiores de bacharelado em direito em dez instituições de ensino superior, totalizando a abertura de 1.360 vagas. A maioria dos cursos oferece 100 vagas, sendo que dois têm oferta de 200 e um, na Faculdade Metropolitana da Amazônia, em Belém (PA), conseguiu autorização para oferecer 300 vagas para estudantes de direito.

No início do mês, o MEC havia anunciado a redução de quase 11 mil vagas em 136 cursos de direito que apresentaram resultado insatisfatório no conceito preliminar de curso - o índice considera, além do desempenho dos estudantes, o corpo docente, a infra-estrutura e os recursos didático-pedagógicos, entre outros itens. E também tinha autorizado a criação de 32 novos cursos de direito. Totalizando 4,2 mil novas vagas.
 
De acordo com o último Censo da Educação Superior, mais de 650 mil estudantes estão matriculados em mais de 1 mil cursos de direito registrados no MEC.

Fonte

Fonte: G1 - Portal Globo
Notícia disponibilizada no Portal CM Consultoria em 25/06/2011

Nota deste blog

A notícia de abertura de novos cursos de Direito pode dar a impressão de que não está havendo coerência nos atos praticados pelo Ministério da Educação (MEC). Ao mesmo tempo que muitas das vagas de cursos existentes são fechadas (pela falta de qualidade), novas são oferecidas.

Temos que considerar, ainda,  que o Brasil possui um grande número de cursos de Direito em funcionamento, superando até mesmo aqueles existentes em outros países de igual ou até maior população que o nosso.

Apesar de não sermos partidários da tese de que não se deve mais autorizar novos cursos de Direito, consideramos imprescindível a certeza de que eles irão oferecer um ensino de excelência, sob pena de amanhã, ser mais um que terá suas vagas reduzidas.

LENDAS NA INTERNET - FIQUE ATENTO

Google Images


A internet brasileira é pródiga em trazer o que se convencionou chamar de lendas. Algumas são importados do exterior e outras aqui reproduzidas.

Os leitores já devem conhecer vários sites que têm por finalidade desmascarar tais histórias. 

Pela curiosidade, vamos trazer uma delas (lendas) que se refere a uma tal Resolução n. 76 que teria sido publicada pelo Conselho Nacional de Justiça.

Já foi desmentida, portando, se trata de mais uma lenda.

Vejam alguns trechos grifados, que por si só demonstram que se trata de mais uma brincadeira de mal gosto.

Leiam abaixo:

RESOLUÇÃO N. 76
 
Dispõe sobre o traje adequado para a participação em concursos públicos para ingresso na carreira da magistratura em todos os ramos do Poder Judiciário nacional
 
O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, no uso de suas atribuições constitucionais e regimentais, e CONSIDERANDO que o ingresso na magistratura brasileira ocorre mediante concurso público de provas e títulos, conforme o disposto no art. 93, inciso I, da Constituição da República, observados os princípios constitucionais da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência; CONSIDERANDO que costuma-se exigir que os "candidatos compareçam adequadamente trajados" significando ser o bom gosto é um requisito essencial ao ingresso na Magistratura. RESOLVE
 
Artigo 1º O traje masculino considerado adequado é composto de terno completo, camisa clara, gravata e sapatos pretos.
 
Artigo 2º A camisa será de algodão ou tergal e deverá ter a cor branca ou azul clara. Será permitido, à critério da banca examinadora, que o candidato vista camisas com outras cores claras desde que não sejam rosas ou avermelhadas.

Artigo 3º O terno é completo, composto por paletó, colete e calça, em linho, nas cores preto azul ou cinza escuro. Os cortes deverão ter caimento perfeito, e serão produzidos por alfaiates credenciados pelo Tribunal. É absolutamente vedado o uso de ternos de tamanho padronizado, importados ou nacionais, tais como Colombo ou similares. Também será vedado o uso de tecidos sintéticos como poliéster ou microfibra, estampados, enxadrezados ou com listras "risca-de-giz".
 
Artigo 4º A gravata é a de uso tradicional e em cores pastéis, sendo vedadas as de cores berrantes, com ilustrações de desenhos animados ou distintivos de agremiações esportivas. A gravata de fino design italiano poderá ser computada como título. As gravatas de baixa qualidade, de procedência coreana ou chinesa, ensejarão a eliminação do candidato à critério da Banca Examinadora.
 
Artigo 5º O sapato é social, preto ou marrom, em couro bovino ou similar. Será sumariamente cortado do concurso o candidato que vestir meias brancas ou que usar combinação de cintos e sapatos caramelos. O uso de adereços, tais como broches, abotoaduras e jóias é permitido, desde que discretos e em ouro dezoito quilates.
 
Artigo 6º Os trajes femininos serão regidos pelos princípios da moralidade, proporcionalidade, beleza das formas e da não frustração dos anseios masculinos.
 
Artigo 7º O tribunal nomeará como membro da banca examinadora estilista de notória especialização para avaliar os trajes femininos e sua consonancia com os principios enumerados no artigo anterior, cuja opinião terá efeito vinculante e condicionará a aprovação.
 
Artigo 8º As candidatas do sexo feminino deverão vestir roupas compatíveis com o decoro e a discrição do cargo sem abrir mão da feminilidade e sensualidade, em consonância com os padrões atuais da moda e outros critérios objetivos que poderão ser estipulados pelo estilista membro da banca examinadora.
 
Artigo 9º As blusas deverão ser em seda ou tecido fino similar e poderá ter acabamento com rendas, babados e fricotes em quantidade e qualidade compatíveis com o disposto no artigo anterior.
 
Artigo 10º As saias deverão respeitar um distancia mínima dos joelhos de forma a evidenciar, sem vulgaridades, os atributos físicos das candidatas. Será de livre critério da candidata o uso de meias ou meias-calça.
 
Artigo 11º O uso de maquilagem discreta e perfume marcante é obrigatório.


Artigo 12º A exposição pública de varizes, brotoejas, frieiras, celulites ou gorduras localizadas é considerada ofensiva, gera presunção de mau gosto e importarão na exclusão da candidata.
Artigo 13º Outros detalhes ligados ao traje e à apresentação da candidata poderão ser de livre escolha tais como cortes e arranjos de cabelo, sapatos e cintos, bolsas e acessórios desde que respeitados os principios arrolados no artigo 6º e as regras assinadas pelo estilista examinador.


Artigo 14º Esta Resolução entra em vigor na data da sua publicação.

Brasília, 22 de maio 2009. Ministro GILMAR MENDES

Nota:

Sites que podem ajudá-los a descobrir lendas na internet: